Imagem topo da página

Blog

Campanha

Novembro azul, o mês em prol da saúde do homem

Novembro é a vez de conscientizar os homens com a prevenção ao câncer de próstata.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos é o quarto tipo mais comum.

O câncer de próstata é normalmente detectado inicialmente pelos exames de nível de PSA no sangue e pelo toque retal. Em alguns casos, pode também ser recomendável realizar ressonância magnética e a biópsia, que confirma a presença do câncer.

As chances de cura estão diretamente relacionadas ao estágio em que a doença for diagnosticada. Nos estágios iniciais da doença é possível remover a próstata e as células do cancerígenas, com grandes chances de cura. Estima-se que 90% dos casos podem ser curados se diagnosticados precocemente.

Você sabe o que é a PRÓSTATA?
É uma glândula localizada na região pélvica do homem, bem abaixo da bexiga e à frente do reto, sendo atravessada pela uretra por onde a urina é eliminada. Sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é a de produzir o esperma.

Mas e o câncer de próstata, o que é?
É uma doença que ocorre quando as células desse órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal. A real causa do câncer de próstata ainda é  desconhecida. No Brasil, é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, atrás somente dos tumores de pele.

Quando o tumor cresce, os sintomas mais comuns estão relacionados ao ato de urinar, como levantar várias vezes durante a noite para ir ao banheiro, urinar frequentemente ao longo do dia, dificuldade em iniciar e manter um jato contínuo, urgência em urinar, podendo haver escape, gotejamento no fim do fluxo, sangue na urina e dor e esforço para esvaziar a bexiga.

As estimativas mostram que os homens vivem 7 anos a menos do que as mulheres, justamente pela falta do hábito da prevenção, de alimentar-se melhor e de ir ao médico

 

Fonte: Lado a Lado Pela Vida

Fique por dentro das novidades!

Newsletter